Nova área de templates no Portal da Informação e outros informes

Confira os informes abaixo e deixe de temer as normas da ABNT em trabalhos acadêmicos

1) Templates para os editores de texto Microsoft Word e LibreOffice para download: http://www.portal.ufpr.br/normalizacao. Os templates estão com a formatação toda pronta. Basta abrir o arquivo e digitar seu trabalho!

2) Serviço de orientação oferecido pelas Bibliotecas: procure a biblioteca do seu curso para tirar dúvidas sobre a normalização de trabalhos acadêmicos.

3) Todas as modalidades de usuários das bibliotecas podem utilizar-se do serviço de orientação. Ou seja, NÃO é restrito aos pós-graduandos, como muita gente imagina. Graduação, especialização, pós-graduação, intercambistas, servidores docentes, servidores técnico-administrativos, etc., todo mundo com vínculo pode acessar o serviço. E na graduação, não é restrito aos Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs): pode-se tirar dúvidas de normalização para qualquer trabalho da vida acadêmica.

4) No caso de servidor docente (professor), havendo interesse, pode verificar junto da biblioteca relacionada ao curso/departamento a viabilidade de uma capacitação em grupo para a turma de uma disciplina, curso, grupos de docentes, etc.

5) Eventualmente, as bibliotecas do SiBi-UFPR também podem oferecer cursos de normalização diretamente ao público.

6) Check-list para auxiliar na conferência da normalização: antes de entregar a versão final do seu trabalho, verifique se os elementos pré e pós textuais estão apresentados corretamente, acessando http://www.portal.ufpr.br/normalizacao.

7) No universo dos trabalhos acadêmicos, saiba mais especificamente sobre a entrega de teses e dissertações: http://www.portal.ufpr.br/teses_servicos.

8) A Página do SiBi-UFPR no Facebook vem postando materiais de apoio na normalização. Além de normalização, também dicas no desenvolvimento de diferentes trabalhos acadêmicos. Acompanhe: https://www.facebook.com/sibiufpr/.

Anúncios

Aquisição de Material Bibliográfico

Há três portas de entrada de livros e demais materiais bibliográficos (incluindo assinatura de periódicos e bases de dados) no SiBi UFPR: compra, doação e permuta. Hoje falaremos da aquisição por compra, responsabilidade do Departamento Técnico/Aquisição (DT/AQUI). É por aqui (com o perdão do trocadilho) onde os livros e todos os demais materiais bibliográficos que compõem o acervo do SiBi UFPR iniciam sua trajetória pela Universidade. 

Tudo começa pela disponibilidade orçamentária. As unidades solicitantes verificam se há verba e encaminham ao DT/AQUI, via processo, a listagem dos livros a serem adquiridos ou, preferencialmente, entram em contato com a biblioteca que atende o curso para que esta auxilie no procedimento. É possível também a aquisição via projeto de pesquisa, com recursos advindos do Fundo de Desenvolvimento Acadêmico (FDA), Capes, Funpar etc. As indicações dos títulos da graduação a serem adquiridas devem estar registradas na bibliografia básica ou complementar e passar pelos Núcleos Docentes Estruturantes de cada curso para aprovação.

Após conferência e formatação, o processo é submetido via Sei, gerando um novo processo: a licitação, que pode ser nas modalidades Pregão Eletrônico, Registro de Empenho ou Compra Direta (inexigibilidade). aquiDepois da compra efetuada, vem a “festa”: o recebimento dos materiais! DT/AQUI lotado de caixas e mais caixas repletas de livros que, um a um, são conferidos em relação à quantidade solicitada no pedido, título, ISBN, edição e valor da nota fiscal. Feita a verificação, os livros são enviados ao CPT (já apresentado em posts anteriores: Parte I e Parte II) para catalogação do título. Por fim, os materiais retornam ao DT/AQUI novamente para serem patrimoniados e, na sequência, distribuídos às bibliotecas dos setores. Após o pagamento das notas, o ciclo se reinicia. Este é o procedimento padrão para aquisição de livros por licitação, envolvendo livrarias e distribuidoras comerciais. O procedimento varia um pouco para os demais materiais bibliográficos, bem como para materiais adquiridos diretamente com editoras.

Segundo o bibliotecário Denis Uezu, chefe do DT/AQUI, “os desafios do departamento para 2018 são verificar as vantagens e desvantagens de um novo modelo de licitação, comparando-o com os outros já utilizados pelo departamento, e a compra de e-books. Para esta, é necessária criteriosa análise dos títulos e de sua aplicabilidade, a partir das estatísticas de uso por curso, a fim de definir o melhor custo-benefício na escolha do modelo a ser comprado e/ou assinado”

Biblioteca JU ministra aulas nas disciplinas de Metodologia

Todos os anos, em parceria com os professores de Metodologia Científica, os bibliotecários da Biblioteca de Ciências Jurídicas (JU) ministram aulas sobre fontes de informação e de referências e citações de trabalhos acadêmicos para os estudantes de primeiro ano do curso de graduação de Direito.

Este ano a novidade está sendo de apresentar e orientar para o uso de softwares gerenciadores de referências e citações, ferramentas essas que visam facilitar a coleta, organização, compartilhamento e citação de documentos.

Além das aulas para os primeiranistas, também está na agenda aulas para os alunos dos 4º e 5º anos do curso, a fim de orientar para a escrita e composição de projetos e monografias. E, aos alunos da pós-graduação, apresentar as diversas fontes de informação e as melhores e mais modernas ferramentas de apoio à pesquisa.

É a biblioteca universitária cumprindo o seu papel de apoio na formação do pesquisador!

*A partir de informações da Página da Biblioteca JU no Facebook

Conheça em números o acervo impresso do SiBi-UFPR de trabalhos acadêmicos

Você sabia que as bibliotecas/unidades do Sistema de Bibliotecas da UFPR reúnem mais de 91.000 (noventa e um mil) trabalhos acadêmicos no acervo impresso?

Acervo impresso nada mais é do que o “acervo físico”, nome pelo qual é mais conhecido. São quase cem mil títulos diferentes de teses, dissertações, monografias de especialização e outros tipos de TCCs (Trabalhos de Conclusão de Curso) presentes para consulta e/ou empréstimo nas bibliotecas da Universidade.

E esse número tem crescido bastante: em 2015, o número total era de 83.302 (oitenta e três mil, trezentos e dois) trabalhos disponíveis; o ano de 2016 fechou com 87.377 (oitenta e sete mil, trezentos e setenta e sete); e em 2017 ultrapassou a marca dos 90 mil, alcançando 91.308 (noventa e um mil, trezentos e oito)! São aumentos significativos de 4,9% (2015-2016) e 4,5% (2016-2017).

Detalhes importantes: são 91.308 títulos. Significa que, se contarmos os exemplares, o número é ainda maior, uma vez que muitos dos trabalhos estão disponíveis com mais de um exemplar. E os títulos não são apenas de trabalhos oriundos da UFPR. Há diversos trabalhos acadêmicos de outras instituições brasileiras e estrangeiras, trazendo ao público diversos títulos da produção científica brasileira e mundial.

Se tiver curiosidade, CLIQUE AQUI e confira outros números e indicadores do SiBi-UFPR.

*Fonte das informações: Relatório de Atividades da UFPR 2015Relatório de Atividades da UFPR 2016 e repasse de informações pela Biblioteca Central da UFPR

Processamento Técnico – Parte II

Estoure a pipoquinha aí porque hoje vem mais uma super matéria sobre os serviços oferecidos pelo SiBi. Esta segunda parte da matéria sobre Processamento Técnico traz a tão falada Ficha Catalográfica, que desde o início de março passou a ser obrigatória em todas as dissertações (mestrado) e teses (doutorado e livre docência) da UFPR, em vista da nova forma de recebimento dos trabalhos, via Siga.

A ficha é o Serviço de Catalogação na Fonte, ou seja, uma catalogação prévia, o tratamento dos dados físicos e bibliográficos da obra antes de sua publicação/distribuição. É sempre elaborada por bibliotecários e deve ser formatada dentro de um retângulo de 7,5 x 12,5 cm, escrita em fonte de tamanho 10 e ser inserida logo após a folha de rosto da obra.

A ficha é uma ferramenta útil a bibliotecários, pois inclui indexadores e todas as principais informações da obra, tal como título, subtítulo, nome de orientador, local, data etc. Em breve, trará mais uma informação: o link do Banco de Dados Científicos. Uma novidade pra lá de bem-vinda, que renderá um post exclusivo!

ficha

Autor, solicite a ficha catalográfica de sua obra na biblioteca do seu curso. Trata-se de um serviço gratuito, disponível em todas as bibliotecas do SiBi/UFPR. Verifique aqui as especificidades de procedimentos e prazos de cada biblioteca.

 

Processamento Técnico – Parte I

Você pensa que trabalho de bibliotecário é só “empresta livro, devolve livro, empresta livro, devolve livro”? Nananinanão! Quer saber o que rola nas coxias d´El Gran Espetáculo de la Información de la UFPR?! Acompanha então nossa série de publicações sobre o trabalho dos bibliotecários e auxiliares de biblioteca do SiBi UFPR. Vamos apresentar cada função necessária para que livros, teses, dissertações e outros documentos cheguem até as prateleiras de nossas bibliotecas e, delas, para suas mãos! Agora, acomode-se na melhor poltrona, abasteça seu balde de pipocas e… enjoy

funções-sibi


Na estreia, o Processamento Técnico! Para falar dessas funções é preciso falar das etiquetas. 
As etiquetas alfanuméricas presentes nas lombadas de todos os livros e documentos dos acervos das bibliotecas não estão ali à toa. Quem as insere nos livros e demais materiais bibliográficos são os profissionais que atuam no Preparo Físico, depois de passar pelas etapas do Processamento Técnico. As etiquetas – resultados de muitas horas de trabalho de bibliotecários e seus auxiliares, debruçados sobre o código de catalogação AACR2, descritores de assuntos e classificações – são a ferramenta que mantém a organização do acervo, facilitando assim a pesquisa e o empréstimo. 

Para se chegar à combinação de números e letras, o responsável pelo Processamento Técnico realiza a catalogação das obras, o que compreende um conjunto de informações a ser inserido no sistema para ser visualizado pelo usuário durante sua busca de informação no catálogo coletivo (OPAC – Catálogo Online de Acesso Público), tal como título principal, indicação de edição, detalhes específicos do material, primeiro editor, data de publicação e indexadores (as chamadas “palavras-chaves”, termos permitidos e controlados de um vocabulário específico que auxiliarão o usuário em sua busca). Na UFPR, esta primeira etapa acontece ainda na Biblioteca Central, na Coordenação de Processo Técnico, seguida de complementos quando o livro chega às bibliotecas setoriais. 

Cada biblioteca da UFPR segue a classificação que melhor se aplica às especificidades de seu acervo. A biblioteca de Ciências da Saúde, por exemplo, atribui às suas obras a classificação do National Medicine Library Classification – NLMC, por meio dos controladores de vocabulários conhecidos como thesaurus, o MeSH e o DeCS. As demais bibliotecas, por sua vez, optam pela Classificação Decimal Universal (CDU) e/ou Classificação Decimal de Dewey (CDD). 

processo1.png
Francisco José Cordeiro, bibliotecário responsável pelo Processamento Técnico da Biblioteca de Ciências da Saúde (SD), e Débora Aparecida Caetano, auxiliar de biblioteca, responsável pelos serviços de Preparo Técnico da SD.

O código de catalogação está acompanhando a sofisticação da internet, permitindo que as políticas de desenvolvimento de coleções possam sair da exclusividade de materiais de informação tipicamente físicos/digitalizados, caminhando cada vez mais para acervos cujas tipologias informacionais sejam genuinamente digitais e compartilhadas – nascidas na Web. Segundo Francisco Cordeiro, bibliotecário que atua no Processamento Técnico da Biblioteca de Ciências da Saúde, “a missão do bibliotecário é quebrar a inércia informacional de um livro, por exemplo, que acaba de ser catalogado e tende a ficar estático na prateleira, em dado nicho específico de assunto de sua área de conhecimento. Conseguir definir esse nicho específico, os indexadores ideais, que funcionem após uma busca satisfatória pelo usuário, ou seja, que façam com que a obra seja encontrada pelo usuário, em acervos virtuais e físicos, é a nossa glória!”.

processo3
Fotos: acervo SiBi UFPR

Há uma disposição lógica das obras nas estantes, o que permite a construção de árvores do saber. Um assunto seguido por outro, numa crescente conexão de informações que, em uma análise geral, geram um panorama do conhecimento de determinada ciência contemplado no acervo que cada setorial possui. “As classificações e os thesaurus são explosões de informações virtuais. A NMLC, por exemplo, é uma explosão de informações na prateleira da biblioteca!”, diz Francisco. 

Depois de passarem pela catalogação, indexação, classificação e notação, as obras recebem os cuidados físicos que incluem impressão e afixação de etiqueta na lombada, afixação de código de barras, inserção de fitilho antifurto e afixação de etiquetas diversas de consulta local, bibliografia básica etc. Por conta disso, a necessidade de preservar todos esses sinalizadores diversos, fundamentais para a organização do acervo e eficiência da pesquisa.

 

* Texto revisto em 09|março|2018.

O número de empréstimos não para de crescer!

Nos último triênio (2015-2017), o número de empréstimos domiciliares de livros, dissertações, periódicos, teses e outros tipos de materiais ofertados pelo SiBi-UFPR tem aumentado consideravelmente.

Empréstimo domiciliar significa isso mesmo que parece: o tipo de empréstimo que permite ao usuário ou usuária do Sistema de Bibliotecas levar o material para casa (ou para onde melhor preferir, é claro!) por um tempo determinado, o prazo de empréstimo.

Em 2015, foram 249.557 empréstimos (duzentos e quarenta e nove mil, quinhentos e cinquenta e sete). Em 2016, foram 291.738 (duzentos e noventa e um mil, setecentos e trinta e oito). E em 2017, foram 323.738 empréstimos (trezentos e vinte e três mil, setecentos e trinta e oito)!

Portanto, houve um aumento de 16,9% entre 2015 e 2016 e de 10,9% entre 2016 e 2017. E em média, ano passado foram realizados 8 empréstimos para cada cadastro ativo no sistema.

Lembre-se: nas bibliotecas do SiBi-UFPR,  a casa é sua! Aproveite!

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑